Páginas

26 de fevereiro de 2010

Soubesse eu chamar outro nome que não o teu
enquanto a paisagem escorre, sacrificada à janela...
Queria apenas matar o tempo,
como quem mata a sede debaixo da chuva,
soubesse eu, meu deus, que até nas horas vagas construiste uma casa...



-RD
Enviar um comentário