Páginas

1 de novembro de 2010

tempo navalha

Quem te dera (quem nos dera) que o poder nos povoasse as mãos!
Que as rédeas do tempo nos pertencessem e cada segundo fosse manipulável!
Que as estradas se percorressem, os caminhos se cruzassem, as nossas mãos se dessem, e os dias acontecessem conforme os desígnios da nossa vontade, absoluta e divina, quem nem a de um Deus anónimo...


-RD
Enviar um comentário