Páginas

10 de janeiro de 2014

Life is very long

Tolstói declarou nas primeiras linhas de Anna Karenina que "todas as famílias felizes são iguais; mas cada família infeliz é infeliz à sua maneira". Esta podia ser a introdução de August Osage County.



Oklahoma aparenta ser um local tranquilo e fastidioso, onde nem uma palha se move nas intermináveis tardes soalheiras. Mas todos já sabemos como as aparências são enganosas…
Esta paisagem desértica acolhe um clã de personagens disfuncionais e insanos que protagonizam uma dura e crua realidade familiar. Trata-se de um drama extravagante e poderoso que expõe os segredos e a perversão dos Weston sem qualquer misericórdia.

Uma frase curta e áspera abre-nos as portas: "life is very long". Pressente-se a dor e sobretudo o esgotamento. A vida foi de facto longa e espinhosa para Beverly, patriarca da família Weston, intelectual de tendências alcoólicas e ponto de partida de toda a trama. O seu desaparecimento – suicídio, na realidade - reúne as irmãs Barbara, Karen e Ivy e atesta a casa de conflitos comoventes. Violet, que pouco tem de mãe ou de adulto exemplar, afirma amargamente que é apenas "truth telling" ao esmagar cada membro da família com comentários glaciais. O que seria um período de luto e homenagem transforma-se numa deflagração de ódios reprimidos e num desfilar de verdades inconvenientes. Enquanto as revelações se acumulam - incluindo incesto e tentativa de abuso sexual - os agredidos começam a fugir um por um, em desespero. Apenas Barbara parece alcançar a catarse no meio de tamanha balbúrdia. [Não se sabe se a fuga é momentânea ou definitiva. Apenas sabemos que é serena. Libertadora.]

Concluindo: excelentes interpretações, excelente banda sonora. A trama, como já se sabe, é fabulosa – não fosse a peça vencedora de um Pulitzer e Tony. Os diálogos, inteligentes e imprevisíveis, ficam a ecoar na memória. Eis um drama feroz temperado com altas doses de humor negro como há muito não se via.

Se "lavar a roupa suja" fosse um género, este seria o meu filme preferido

Raquel Dias
Enviar um comentário