Páginas

5 de dezembro de 2009

nestes degraus


A ti que estarias,


Senta-te aqui nas escadas ao meu lado.
Os degraus estão frios e a luz tem falhado neste corredor, mas o que é isso comparado aos muros humedecidos de onde costumávamos contar as estrelas?
Anda, senta-te... Não olhes para mim assim.
Eu sei que é tarde... Sei que o dia foi longo e que anseias pela tua poltrona com vista para o Tejo.
Daqui a paisagem não é tão gratificante, mas até existe alguma beleza nas portas do elevador, repara...
Gosto quando sorris assim.
Prometo que não falo alto. Posso sussurrar. Assim não tens que te preocupar com os vizinhos.
Senta-te...

Não achas que o mundo visto deste degrau é bastante mais tranquilo?




Raquel Dias
Enviar um comentário