Páginas

10 de junho de 2010

Fala-me de mim

Fala-me de mim.
Conta-me os meus segredos,
as turvas recordações e desejos inóspitos,
os profundos anseios e branduras…
Explica-me esta voz,
explica-me o rosto e o corpo,
as cicatrizes da alma, as feridas abertas,
as feridas saradas. As feridas…
Diz-me a cor dos olhos,
o comprimento dos cabelos que esvoaçam,
o comprimento dos sonhos,
o peso das alegrias,
das mágoas,
das incertezas,
do concreto.
Fala-me de mim.
Conta-me as minhas histórias,
as de papel, as de infância,
as verdadeiras, as impostoras.
Diz-me de onde venho,
porque venho,
para onde pretendo ir?
Fala-me de mim
Faz-me poema e prosa


...Que eu desconheço-me nas próprias linhas

Raquel Dias

Enviar um comentário