Páginas

5 de setembro de 2010


Tens um minuto?


E é a entrar de rompante na sala, exibindo um ar forçosamente sério, que pronuncias as palavras: tens um minuto?
Ambos sabemos que esse minuto não se esgota em si mesmo; rodopia pelos ponteiros, expande-se; jamais se delimita.
“Um minuto” é só uma espécie de preparação. Um aviso. Puro eufemismo.
[Prepara-te, que vêm ai uma longa conversa…]
E eu respondo-te: tenho todo o tempo do Mundo… serve?
É que na verdade… sou mais dada a hipérboles.


-RD
Enviar um comentário