Páginas

18 de maio de 2011

agora sei

Eu julgava que as coisas eram de determinada forma. E este é o ponto de partida.
Eu estava enganada. Apesar das constantes revelações entusiastas que fazia a mim mesma, apesar das provas que agregava no meu íntimo cofre metafísico… Eu parti duma premissa absolutamente errada.
Desde então coleccionei diversos momentos de insanidade, estilhaços, poemas e ocasionalmente prosa.
Tudo isto reflectia uma realidade absurda, que teve como origem uma simples e quase inocente percepção. Eu achava que era assim. Eu estava mesmo convencida disso.
(Cheguei a dizer-to, uma vez por outra, quando me sentia embriagada ou excessivamente vazia. Lembras-te?)
Oh, mas eu estava tão equivocada.
Gostava que viesses e me desses a mão.
Há uma coisa que te quero dizer...



RaquelDias
Enviar um comentário