Páginas

1 de julho de 2013

deixa-te ir ; ou ficar...


     as minhas mãos de neve ancoradas no teu peito vazio,          
quero respirar fundo mas não me atrevo a denunciar a comoção,




- é leve, e o que é leve nem o vento leva.



agora diz-me tu,
     queres ir
     queres ficar ?

Raquel Dias
Enviar um comentário