Páginas

28 de agosto de 2015

boca do lobo



aprende a falar a minha
língua na tua na boca
do lobo eu grito socorro
mas já estás dentro já
me inundaste do epicentro
às ruas que vão dar ao
mar bravo que não amansa
que dança no ventre de
outra mulher ou
onde couber a tua ânsia
de ser maior já que
melhor ...
(é melhor não dizer)
vê que eu sei-te e
dei-te muito mais do que
alguma vez fui e
se o amor dilui é
inevitável que também eu
dilua
nua e crua a cada orgasmo
em que me comes já
sem fome ou 

vontade de
saber a minha língua.



Raquel Dias
Enviar um comentário