Páginas

12 de fevereiro de 2016

mastiga-me as pétalas devagar




uma mulher de pé é como uma erva daninha
dissertando a noite nos nós dos cabelos 
como se fossem novelos de lã infinita
e aflita olha-se ao espelho para
ver
ser
uma flor mais bonita.



Raquel Dias
Enviar um comentário