Páginas

7 de julho de 2016

mãos de piano

Observo-te as mãos estranhas, de piano, os gestos delicados e pálidos, a forma como derramas um romanticismo quase gótico na mesa onde apoias o copo.
Ao teu lado as minhas mãos não são tão bonitas. Nem os meus gestos tão finos. Nem a minha certeza tão inabalável.





Raquel Dias

Enviar um comentário