Páginas

18 de julho de 2011

o corvo

Mais uma vez, o corvo perseguiu-me durante toda a noite, embaciando as minhas reflexões com aquele tagarelar característico.
Sei que muitos no meu lugar ter-se-iam deixado perturbar pelo dito animal, considerando-o um prenúncio de morte ou de qualquer coisa bastante negra…
Mas para mim não passa de uma solidão errante.



RaquelDias
Enviar um comentário