Páginas

30 de agosto de 2012

mera exteriorização do tédio

Uma caneca de café para não voltar a adormecer.
O tempo é outro tempo por estes lados, sinto-o arrastar-se, indolente, eu própria debilito-me com tudo isto. Rabisco estreitas frases ocasionalmente, com prepósito mas sem êxito, tento alinhar a vida passo a passo. O café perde o efeito, resta-me tudo quanto sei em demasia. Aqui e acolá, pouco me resta conhecer. Reviver torna-se então uma alternativa agradável. Levada ao extremo afigura-se um tanto má ideia, mas então? O café perdeu o efeito. O tempo é outro tempo nesta cidade.
- E eis-me sozinha em mim.
Haverá quem cobice este mar. Haverá quem goste de atravessar a ponte e se sinta imediatamente protegido pela singularidade da palavra casa.
Oh, mas eu…




Raquel Dias
Enviar um comentário