Páginas

28 de maio de 2015

imortal


nas mãos tuas, nas mãos nenhumas, o pensamento verte e remete para o fim,
se o jardim fosse imortal regaria as flores com sal e alimentar-me-ia de pétalas,

até morrer.



Raquel Dias
Enviar um comentário